sábado, 12 de setembro de 2009

Passado e presente

Leo
Leo

Leozinho

Leozinho

Leo foi o primeiro gatinho só meu, apesar de haver gatos em minha família desde que era pequena e de ser apaixonada por eles.
Leo me foi dado pelo meu marido, pouco depois que começamos a namorar . Era um bebezinho lindo, filho de um casal de siameses da irmã mais velha do Ronaldo. Quando nos casamos, acompanhou-nos para nossa casa. Ele sempre dormia comigo, embaixo das cobertas e éramos muito unidos. Lembro que passeava com ele no meu ombro, ou enrolado no meu pescoço: parecia uma estola viva!
Logo que casamos, moramos por alguns anos em uma casa e, um dia, Leo fugiu... Passaram-se mais de três meses e já havia perdido a esperança de seu retorno, quando ele voltou! Veio gordo e bonito; obviamente havia sido pego por alguém mas, assim que conseguiu, voltou para sua mamãe.
Leo já se tornou uma linda estrelinha há muitos anos, mas jamais o esqueci, nem o esquecerei.
Quando minha outra cunhada mudou-se para a Bahia e pegamos Tchutchuca e seus filhotes (eram 9!), nossa intenção era doar todos, mas logo eu disse que um ficaria conosco: ele parecia um filhote de siamês, branquinho com o rabinho, orelhinhas e patinhas marrons. Seu nome? Leozinho!
Leozinho foi crescendo e mudando; não ficou nada parecido com Leo, mas é um sialatinha lindo e fofo; muito doce. Aliás, por falar em crescer, ele não cresceu muito, apesar do cálcio extra que a vet receitou quando era nenê, ele é um mini-gato. Sempre achei o Toco da Claudinha muito parecido com Leozinho (lógico que não no tamanho kkk) e acho que este é um dos motivos porque me apaixonei por aquele gordo lindo logo que o conheci.

Leo, um amor do passado (mas sempre presente no meu coração) e Leozinho, um amor do presente, onde quero que permaneça por muuuitos e muuuitos anos.

11 comentários:

Claudinha disse...

Que lindo, Gisa! Adorei a homenagem!

Toco pançudo! kkkkkkkkkkkkkkkkk

Bjinhos

Anya disse...

So lovely touching story
Leo stays always deep in your heart
:)

Gata Lili disse...

Adoooro ler essas histórias de gatos. O Léo com certeza ainda dorme com você viu? Ele nunca te abandonou...e o outro léo, desejo que ele seja muito feliz e que viva muito para compartilhar muitos momentos com você. Assim que tiver um tempinho, tenho informação importante lá no blog hoje. Não deixe de ler e divuilgar tb.

Arte dos Gatos disse...

Linda história. Como dá saudades dos nossos anjinhos que bateram asas né?
Beijos
Simone

Liôa disse...

ow amiga! é tão dificil de esquece-los!!!!! q bom né^^^bjinhos

Gisa disse...

Oi Claudinha: Eles nos dão tanto né? Merecem tudo e muito mais! Dá uns amassões no Toco por mim! kkkk Beijos
Hi Anya: Thank you. Leo will be in my heart forever... Kisses
Oi Lili: Obrigada querida! Já estive no teu blog e comentei lá; pretendo mesmo postar a respeito. Beijos
Oi Simone: Obrigada! Eles são inequecíveis. Beijos
Oi Liôa: É impossível esquecê-los. Mas, como disseste, isso é bom: uma vida sem amor é algo vazio e inútil. Beijos

Andrea Sassaki disse...

Oi amada! Dá uma saudade, não dá??? São lindos! Um beijo enorme!

disse...

ai, que lindo esse post! adorei! :)

Gisa disse...

Oi Andrea: A saudade é grande! Obrigada! Beijos mil
Oi Dê: Obrigada! Beijos

Claudia disse...

Adorei saber dessas historinhas de vida.
São essas lembranças que fazem a nossa jornada ser tão especial e única.
bjs

Gisa disse...

Oi Claudia: Tens toda a razão. Sempre digo que saudade é um dos mais lindos sentimentos que existe; só se sente saudade do que é ou foi muito bom e especial. Beijos