segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Eles estão aqui...

Polly
 
Polly (que adora arranhar sofás!)
Polly
Polaco (nosso Topo Gigio bochechudo)

Polaco, namorando a rua, pela porta da sacada.
Polaco, curtindo uma cama.
Polly e Polaco

Alguém se lembra de nosso post sobre animais comunitários e da ameaça sofrida pelo Polaco e pela Escaminha?

Muita água rolou: inicialmente dois funcionários da escola falaram com Tati, para saber o  porquê de não mais alimentar os gatinhos. Depois, disseram que falaram com a Direção e que não havia qualquer impedimento por parte dela para que permanecessem por lá. Tati voltou a alimentá-los, mas, depois, sumiram por aproximadamente uma semana, até que retornaram.

Pois bem, no dia 31 de julho (3ª feira), Tati foi abordada de manhã por um senhor, que disse ser o Presidente da Associação/escola, que informou que um vizinho do prédio ao lado disse que os gatinhos estavam incomodando e que iria envenená-los. Acrescentou que, se ninguém os pegasse iria "largá-los na ilha". 
Disse que já havia falado com a Prefeitura para recolhê-los, mas lhe informaram que não iriam fazê-lo e que ele poderia tomar as providências que entendesse melhores!

Tati pediu um tempo para resolver a situação. Resultado, 3ª feira mesmo, no horário de almoço, eu, Tati e meu marido pegamos um caixa de transporte e fomos recolher, inicialmente a Escaminha. Foi tudo muito fácil, entrou sem discutir na caixinha e meu marido levou-a para casa, enquanto eu e Tati fomos trabalhar. 

Pouco depois, ele telefonou para dizer que a porta da caixa (que já não estava muito boa) se abriu e ela fugiu. Felizmente ela voltou logo para o gramadinho. No final da tarde, após passar na pet shop e comprar outra caixa de transporte, Tati pegou novamente a Escaminha e levou-a para casa, mantendo-a em seu quarto.

Na quarta-feira ao meio dia foi a vez do Polaco: este custou mais a entrar na caixa, apesar de não tentar nos morder ou arranhar em nenhum momento. Nunca imaginamos que seria tão fácil resgatá-los!

Sexta-feira, dia 03 de agosto, Polaco já foi castrado e, após uma tentativa frustrada de adaptá-lo com o grupo da lavanderia, vimos que seria mais fácil mantê-lo com Escaminha no quarto da Tati e, aos poucos, juntá-los ao Grupo I.

Acho que não preciso dizer que não é fácil introduzir dois animais adultos em um grupo em que já existem outros cinco... Felizmente as coisas já estão melhorando e passam a maior parte do dia juntos, sem maiores problemas.

Escaminha, agora se chama Polly (de Poliana) e Polaco, é Polaco, mesmo.

Coisas que imaginamos:

- Após ficarem uma semana sumidos, Polaco voltou magro e com o pelo muito feio.
- Depois do que nos disse o "Sr. Presidente", achamos que houve uma primeira tentativa de descarte, que não foi bem sucedida porque o local não foi longe o suficiente, daí a ameaça de largá-los "na ilha".

Polaco, após tomar cápsulas de carvão vegetal e vermífugo, permanecia com um problema diarréico que o Vet julgou melhor combater com antibiótico, pois se mostrava com características de ser crônico. Ontem à noite já tomou a 5ª dose (serão dez). É o gatinho mais fácil de medicar que já tivemos!

12 comentários:

Jeferson Cardoso disse...

Oi Gisa!
Interessante a independência dos gatos! [sorrio]
Parabéns pelo blog e pela postagem! Prazer estar aqui! Com tempo, venha ler e comentar INFAUSTA CORRIDA no http://jefhcardoso.blogspot.com
Tenha uma excelente semana.
Abraço!

eva disse...

ainda bem que foi mais um caso de final feliz para estes dois gatinhos. Parabéns! Espero que eles se adaptem rápido a casa nova.
beijos

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Oi Gisa, nossa como foi movimentada essa sua ausencia, rs. Sempre quis uma escaminha e você agora tem.Estou torcendo para a harmonia reinar em breve ao lar dos Leal, porque me lembro bem quando trouxe o Rapha pra casa, fuzzzz.Cada vez mais me encanto com Você e sua Familia, Deus os abençoe sempre. Beijos, amadoramos a todos.

Blog da Pink disse...

Eu já disse que amo vocês??? Eu amo vocês! É tão bom encontrar pessoas que protegem e amam os animais como vocês! Eu gostaria de poder recolher muitos animais que encontro pelas ruas mas o marido não deixa. Além disso estou nessa fase de idosos que toda hora precisam de remédios e tratamentos, sem contar as cirurgias. Procuro ajudar algumas protetoras daqui, o que já me alivia a culpa.
Minha irmã e eu fazemos planos de morar juntas, as 2 velhinhas e cheias de gatos recolhidos das ruas e eu espero que este sonho se concretize! Sinto muito pelo meu marido...
Beijos
Laís

Milene Widholzer disse...

Oi Gisa, que amorecos, parece que vão se adaptar rápido à casa. E vão ganhar o amor que não ainda não tinham conhecido. Adorei o Polaco todo à vontade no cobertor, com toda folga que ele merece, rsrs.
Impressionante a solução que alguns dão para um assunto sério quanto o dos animais que vivem na rua... se não conseguem sumir com eles então envenenam... que absurdo, que nojo. As pessoas não castram seus animais, deixam soltos pelas ruas, fazendo mais e mais filhotes e a única solução que encontram é o extermínio.

Beijocas pra ti e tua família nota mil!

Andrea Sassaki disse...

Oi Cumadi!!!
Que saudades!!!!
Espero que a família continue crescendo!!! Quer casa mais segura do que a sua????
Lindos seus novos filhos e, eu ainda hei de ter um bigode!!!!
Beijo em todos, viu!!!

Beth disse...

Gisa, que bom terem conseguido resgatar os dois mimosos.
Polaco e Polly devem estar estranhando um pouco a falta da liberdade que tinham quando moravam na escola, mas logo estarão enturmados com os outros e ao sentir o quanto são amados por vocês lembrarão apenas de retribuir o cuidado e o carinho.
Parabéns à família por toda a dedicação.
Beijinhos,
Beth

Nikita disse...

Gisa, você e sua família salvando vidas animais, vocês são pessoas maravilhosas. Eles são lindos e, que delícia ter a casa cheia de gatos. Amo muito!

Bjs, Néia e Nikita

Karina disse...

Fico feliz pela Polly e pelo Polaco e mais feliz ainda por saber que existem pessoas como vocês!
Beijos

Claudia Goulart disse...

Gostei de saber que a Polly e o Polaco (adoro os amarelos e ele tem uma carinha linda!) agora têm um lar amoroso e cuidadoso.
A Tati e você são 20!

Bjs

Lívia Fernanda (I/O Gatos) disse...

Nossa, que bom que deu certo essa história! Vocês fizeram diferença na vida desses gatinhos. Parabéns!

Gata Lili disse...

Final feliz, depois de tantos tropeços...