quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Conversando com gatos!

Vocês conversam com seus gatos?

Há vários aspectos que podem ser abordados dentro deste tema.

Eu sempre tive o hábito de conversar com meus filhotes e ganhei um livro sobre gatos de Natal (não lembro o nome no momento, mas se alguém se interessar posso procurar) que dizia que devemos sempre  falar com os bichanos. Dizia, por exemplo, que se vamos nos afastar por um tempo maior que o habitual, em um passeio, ou uma viagem, devemos explicar-lhes tal ausência e dizer que voltaremos e quando; nossa ausência sem explicação os deixaria angustiados e com sensação de abandono.

Uma coisa que sempre tive o hábito de fazer é, quando medico um gato, explicar-lhe que é necessário; que é para que fique bom; que a mamãe só quer vê-lo bem.

Sei que muitos devem me achar louca, mas sei que, principalmente os gatinhos que estão há mais tempo conosco e que confiam em mim, entendem o que lhes digo.

Vou lhes dar um exemplo: em março tive um problema "em grupo" por aqui (possivelmente viral; o veterinário não conseguiu dar um diagnóstico). Chuvisquinho foi o primeiro atingido e, por isso mesmo, o mais debilitado quando iniciou o tratamento. O veterinário, quando veio à nossa casa, disse que seria bom fazer um sorinho subcutâneo, pois ele estava desidratado, mas não sabia se ele iria permitir. Eu disse que ele entenderia que estava precisando e permitiria. Enquanto o soro era aplicado eu fiquei acariciando e conversando com ele e ele ficou calmo e parecia até aliviado por estar sendo tratado.

O próprio veterinário disse que os gatinhos que estavam sendo tratados iriam fugir de nós por um tempo, ressabiados com o tratamento, e ficou encantado quando nossa doce Kaia, mesmo após haver sido espetada por ele, veio se roçar e "querer assunto". Nenhum deles mostrou-se ressentido contra nós, ou mesmo contra o vet (o que não quer dizer que gostassem das espetadas, aliás, quem gosta?)

Quanto à Fofinha, que tem trauma de injeções, o vet deixou a meu critério (após a primeira aplicação de antibiótico e complexo B) seguir com as espetadas que, como expliquei, poderiam torná-la tão arisca que não me permitisse mais alimentá-la de seringuinha, o que era essencial, visto que não estava se alimentando sozinha e já estava muito magra e enfraquecida. Depois, ele me confessou que achava que ela não iria resistir. A decisão de não espetá-la mais, felizmente, foi a correta e nossa Fofinha hoje está de novo gordinha e linda. Fofinha também é nossa gatinha mais conversadora; ela é capaz de ficar um bom tempo nos olhando e miando na forma de conversa mesmo, só vendo!

Chuvisquinho mamando em mim. (A foto é antiga, mas tem gente que reclama se faço post sem foto kkkk)

E aí amigos(as) vocês conversam com seus gatos?


11 comentários:

Patrícia disse...

Eu converso sempre e o tempo todo! Eles entendem tudo! Mesmo!!!

Nikita disse...

Gisa que legal essa postagem!!.... Eu também converso com a Nikita, antes de ir trabalhar falo pra ela que não vou demorar muito e que é pra ela ficar bem boazinha. Ela fica me olhando e obedece.

Bjs, Néia

Ana, Aprendiz de Anjo disse...

Gisa, que bom agora sei que não sou a unica, rs. Sempre me achei meio pancada por falar com todos meus piludos. Também acho que eles entendem tudo e alguns mantem um bom dialogo. Beijos, obrigada pela força.

Denise disse...

Sempre!
Aliás, tem uma comunidade no orkut que chama "eu converso com meu gato".
Faço igual a ti, explico que vou sair, que horas volto, ou se vou dormir fora eu digo e falo que a "titia" (minha irmã) vem alimentar e limpar a caixinha...
Tenho uma siamesa que adora assunto, fica ela mia e eu respondo, ela mia e assim vai, hehe.
PS: aliás, converso com plantas tb, hehehehehe

Repositório disse...

Não só converso, como canto para eles... tá! Eles não curtem muito quando começo a cantoria....mas eu não resisto.

Mirna disse...

Obaaa!!Tooodos aqui conversamos!!
Sempre tem alguém que acha que sou doidinha, mas meus "fiotes" adoram quando converso com eles e todos me respondem...uns são mais conversadores como Chips, mas todos batem o maior papo comigo!! =D

Bjussss

Gatos da minha vida: Lola, Lilica, Smigol e Preta disse...

Adoreeeeeei sua postagem!!! Converso com os meus filhos o tempo todo, uahuhauhauahuaa, a minha vizinha deve achar que sou louca.....todos respondem, EU FALO, E ELES MIAM, EU FALO E ELES MIAM, só vendo mesmo! Eles entendem sim, e precisamos conversar sempre! Amooooo e ameeei se post!;-)
Bjinhaaaus e bom fim de semana

Blog da Rutha disse...

Adorei o post ! Eu converso em português e miau clássico ! Meu marido até reclama quando eu mio...mas frequentemente eu converso e eu mesma respondo por eles numa vozinha infantil...acho que eu sou maluca mesmo...
Beijos
Laís

Claudia disse...

Converso com meus gatos sim! Como não conversaria?
Na família do meu irmão são 3 gatos e um cão, os gatos lá não miam, e eu todas as vezes que fui pra casa dele achava isso estranho, os bigodes aqui de casa sempre foram faladores.
E é óbvio que aqui eles são estimulados a essa falação e lá, apesar deles amarem todos os bichinhos não tem o costume de agir assim com eles.
Cada um com seu cada um.

Você encontrou as palavras exatas para o meu último post, cerebro e executor. Hahaha! Pink e cérbro, lembra do desenho? É assim mesmo que eles agem por aqui. bjs
bjs

Prosopopéias Cintilantes disse...

Aqui tudo é conversado, sempre! Aviso se vou só na padaria, se vou demorar o dia todo, se vou ficar muitos dias fora, e eles entendem tudo!
Em março o mel ficou uito doente, achei que fosse perdê-lo. Ele teve rinotraqueíte e apesar de ter melhorado com a nebulização, se recusava a comer. Uma noite, depois de tentar alimentá-lo à foraç, na seringa, já que ele cuspia tudo, eu tive uma crise de choro com ele no meu colo. Faleique ele precisava comer, caso contrário ele ia morrer e eu ia ficar muito triste porque o amava muito e queria que ele ficasse bom. A conversa foi longa. No final eu o coloquei na caminha e fui dormir também. Arrasada! Chorei muito e rezei com toda a força do meu coração. Na manhã seguinte ele estava deitadinho no mesmo lugar que eu tinha deixado, mas par asurpresa minha, quando eu coloquei o pratinho de comida do lado ele comeu tudo! Comia e olhava apra mim. Eu mal acreditei! Elogiei e agradeci muito por ele ter entendido. A partir daquele dia tudo que eu coloco no pratinho ele come. A nossa relação mudou depois daquela conversa. E ele está gordinho, com o pelo mais lindo do que nunca!
Nossa, que comentário enorme!
Bjs
Stela e Petetecos

eva disse...

Claro que converso, eu também explico as coisas que estão acontecendo principalmente quando vou fazer algo que eles não gostam. Algumas vezes eles respondem também. Não tem como não conversar com seres que interagem tão bem com a gente. A tixa é a mais faladeira da turma, tudo ela mia. Beijos